Nigéria – “Anjas da Morte”: prostitutas soropositivas cobram 2 dólares por programa

0
2119

O jornalista Ton Koene se aventurou no bairro onde atuam as “anjas da Morte”

Algumas mulheres ganham cerca de 10 dólares por dia, atendendo cerca de cinco clientes diariamente. Para conseguir mais clientes, elas precisam se exibir

Em praticamente qualquer cidade ou país onde você vá, você encontrar lugares destinados à prostituição. Entretanto, um desses pontos, localizado na Nigéria, chama a atenção por sua periculosidade, e acabou atraindo jornalistas e estrangeiros curiosos. Na cidade nigeriana de Lagos, mais especificamente no bairro de Badia, um grupo de mulheres se reúne diariamente para fazer programas que custam em torno de 2 dólares. No entanto, os clientes precisam estar cientes de um detalhe: as mulheres possuem HIV.

Essa peculiaridade fez com que as mulheres fossem apelidadas de “anjas da morte”, já que aqueles que utilizam seus serviços estão praticamente brincando com a própria vida. Normalmente, as mulheres que optam por trabalhar neste lugar já estão na fase final de suas vidas. Isso porque a AIDS, que não é um problema apenas na Nigéria, mas praticamente em toda África, muitas vezes não é tratada em países africanos. De acordo com as Nações Unidas, 80% dos africanos infectados não possuem acesso à tratamento.

O jornalista Ton Koene se aventurou no bairro onde atuam as “anjas da Morte”, e fez algumas fotografias da realidade encontrada no local. “Se você chega de carro, pode sentir o cheiro do HIV lá de fora”, disse o condutor de um táxi a Koene, em um comentário no mínimo desrespeitoso, de acordo com uma matéria do Mirror.

“Quanto mais jovem e bonita é a garota, mais cara ela é. Os homens visitam as garotas de programa como se estivessem caminhando em uma padaria”, disse o taxista. No local existem mulheres até mesmo menores de idade, e os riscos não se resumem ao HIV, mas também existem relatos de agressões físicas, sexuais e sequestros.

Fonte: Mistérios do Mundo