Audiência Pública proposta por Mendes irá discutir o turismo religioso em São Gonçalo

0
422

“São Gonçalo do Amarante é a cidade no mundo que tem o maior número de santos (28), está vocacionada para o turismo religioso, mas carece de infraestrutura e investimentos”. Estes foram os pontos destacados pelo vereador Raimundo Mendes (PMB), para propor uma audiência pública que irá discutir o Turismo Religioso e o Patrimônio Cultural do município. O evento irá acontecer no dia 20 de setembro, às 09h, no plenário da Câmara de Vereadores.

Mendes destaca que São Gonçalo sempre teve uma expressiva cultura religiosa, tendo , inclusive, vários padroeiros. Em outubro de 2017 a cidade teve um forte incremento, quando o Vaticano declarou santos 30 mártires dos massacres que aconteceram em 1645 nas localidades de Cunhaú, Canguaretama, e Uruaçu, em São Gonçalo, em decorrência das invasões holandesas no Brasil. Desse total, 28 são de São Gonçalo do Amarante.

No local do massacre em Uruaçu, foi erguido há quase 19 anos, o ‘Monumento aos Mártires’, com capacidade para receber 20 mil peregrinos. O espaço é aberto a turistas e religiosos, e a cada mês de outubro recebe milhares de fiéis.

“Ocorre que o turista ou romeiro não vai encontrar a menor infraestrutura de acolhimento no local. Nós não temos nenhum transporte que passe, pelo menos, rotineiramente no Monumento para que as pessoas que são religiosas e queiram ir fazer algum prece ou assistir uma missa lá possam chegar ao local. Ou vão de transporte próprio ou alugado”, relata Mendes.

O parlamentar também conta que as vias de acesso também precisam de investimentos e o comércio precisa ser fomentado na região. “As pessoas chegam lá e não tem sequer uma água pra comprar. Nem isso existe lá”.

Por fim, Mendes destaca que é preciso uma soma de esforços do Estado, município, União, dos representantes do trade turístico potiguar e de autoridades religiosas.

“As viagens motivadas pela fé mobilizam milhões de pessoas todos os anos. O turismo gera renda, mas os visitantes só vêm para locais que foram divulgados, que têm acessos facilitados e infraestrutura. Hoje, o maior gargalo do turismo religioso é uma soma de todos estes aspectos. Precisamos do mínimo de infraestrutura para atrair os turistas ao nosso município. É hora de dar o primeiro passo e romper essas barreiras”.