Militares concluem desinfecção na Penitenciária de Alcaçuz, em Nísia Floresta

0
100

Desinfecção foi feita pelo Comando Conjunto Rio Grande do Norte e Paraíba, composto pela Marinha, Exército e Força Aérea

Os quatro pavilhões do presídio e a área administrativa foram desinfectados

Após quatro dias de trabalho, o Comando Conjunto Rio Grande do Norte e Paraíba, composto pela Marinha, Exército e Força Aérea, concluiu a desinfeção da área administrativa e os quatro pavilhões da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, maior unidade prisional do Rio Grande do Norte. A ação tem o objetivo de prevenir e enfrentar o novo coronavírus e, na próxima semana, será estendida aos dois pavilhões da Penitenciária Estadual Rogério Coutinho Madruga.

Para a desinfecção, os apenados foram removidos ao pátio dos pavilhões pelos policiais penais da unidade com apoio do Departamento de Operações Táticas (DOT), Grupo de Operações Especiais (GOE), Grupo Penal de Operações com Cães (GPOC) e participação da Coordenadoria Executiva de Administração Penitenciária (COEAP).

O trabalho abrangeu as áreas de uso comum, corredores e dada atenção especial as celas. Os internos estão colaborando com as medidas de prevenção ao contágio do Covid-19. Em Alcaçuz, foram empregados militares das Forças Armadas habilitados para a descontaminação de ambientes, material e pessoal, em Estágios de Capacitação ministrados pela Equipe de Resposta Nuclear, Biológica, Química e Radiológica (NBQR) do Comando do 3º Distrito Naval.

Essa é a segunda vez que o Comando Conjunto atua em desinfeções no sistema penitenciário. No dia 24 de abril, os militares desinfectaram o Centro de Recebimento e Triagem (CRT), em Parnamirim, ocasião em que 20 policiais penais concluíram o curso de treinamento sobre defesa biológica focada no combate ao novo Coronavírus.

Agora RN