Rio Grande do Norte começa agosto com menor índice de isolamento social do país

0
105

Praia de Ponta Negra, em Natal, tem barracas e mesas abertas na areia neste domingo (2) — Foto: Lucas Cortez/Inter TV Cabugi

Estado registrou índice de 37,64% de isolamento da população no sábado (1º), pior resultado no Brasil, segundo levantamento de empresa que acompanha 60 milhões de usuários de aplicativos.

O Rio Grande do Norte registrou o menor índice de isolamento social entre todos os estados brasileiros, no último sábado, 1º de agosto, com apenas 37,64% da população em casa. No domingo (2), a taxa subiu para 45,17% – ainda assim, o resultado potiguar ficou entre os três piores do país.

Os números fazem parte do levantamento da empresa de tecnologia In Loco, que realiza um acompanhamento nacional sobre o assunto, com base em dados de 60 milhões de brasileiros, usuários de vários aplicativos de smartphones.

Levantamento aponta RN com pior índice de isolamento social do país, no sábado (1º) — Foto: Reprodução

Levantamento aponta RN com pior índice de isolamento social do país, no sábado (1º) — Foto: Reprodução

De acordo com o mapa criado pela empresa, o isolamento registrado no sábado ficou próximo ao de estados como Maranhão (37,72%), Tocantins (37,89%) e Paraíba (37,9%). Já as maiores taxas de isolamento do país ficaram com Piauí (44,52%), Acre (43,22%), Rio Grande do Sul (41,93%), e Espírito Santo (41,74%).

Com o aumento da taxa registrado no domingo (2), em todo o país, o estado teve índice um pouco maior que Paraíba (45,02%) e Maranhão (43,92%). Apesar disso, seguiu perto do fim do ranking de isolamento, distante dos melhores resultados, registrados em Santa Catarina (50,26%) e Piauí (49,99%).

Nesta segunda-feira (3), o secretário de Saúde do Estado, Cipriano Maia, afirmou que é preciso que a população se conscientize de que o coronavírus ainda não foi controlado e que deve continuar seguindo as recomendações de só sair em caso de necessidade, por exemplo. A declaração foi dada ao Bom Dia RN, da Inter TV Cabugi.

Cipriano ainda afirmou que a continuidade do processo de reabertura econômica, depende da manutenção do isolamento social e de taxas de ocupação de leitos e transmissibilidade baixas. Ou isso, ou o estado poderia entrar em “lockdown”, segundo ele.

G1 RN